Foto martela dourado

Advocacia consultiva, preventiva e contenciosa

Tão importante quanto a advocacia contenciosa, ou talvez até mais, pelo seu papel educacional e preliminar, a advocacia consultiva tem como objetivo primordial munir o cliente da maior quantidade de informações possível, incluindo meios alternativos e inovadores para resolver um problema (potencial ou concreto), a fim de embasar decisões e direcionar caminhos. Trata-se de uma vertente da advocacia em exponencial crescimento no Brasil, que aponta na direção de um direito menos contencioso e mais voltado para a mediação e para soluções amigáveis.

A advocacia preventiva, por sua vez, busca cumprir justamente o que seu nome sugere, isto é, prevenir conflitos. Desta forma, o advogado, quando atuando neste ramo, fornece ao cliente valiosas dicas sobre como se portar e quais precauções tomar a fim de evitar conflitos, processos ou outras implicações legais e jurídicas.

Por fim, a advocacia contenciosa é a prática do advogado no dia-a-dia, a atuação processual propriamente dita, isto é, o ajuizamento de ações, a defesa processual, a participação em audiências, o peticionamento aos juízes e tribunais, entre tantas outras ações. É o tipo de atuação mais conhecido no Brasil, dada a cultura extremamente contenciosa do nosso direito, mas também a que mais deve ser evitada, especialmente porque o novo Código de Processo Civil prioriza as formas alternativas de soluções de conflitos, e esse deve ser o papel do advogado consciente, sempre!